MULHER SOFRE REAÇÃO ALÉRGICA E QUASE MORRE APÓS FAZER SEXO ORAL NO NAMORADO

Sem saber do perigo que estava correndo, a mulher, que não teve o nome revelado, conta que praticou sexo oral em seu namorado, como já havia feito antes. No entanto, um detalhe foi crucial para que ela tivesse a alergia e quase morresse: engolir o sêmen.



Uma mulher sofreu uma reação alérgica que colocou sua vida em risco depois de ter feito sexo oral em seu parceiro. De acordo com os médicos, o que teria provocado a situação seria uma substância presente no sêmen do rapaz – a qual ela teria alergia.

Sem saber do perigo que estava correndo, a mulher, que não teve o nome revelado, conta que praticou sexo oral em seu namorado, como já havia feito antes. No entanto, um detalhe foi crucial para que ela tivesse a alergia e quase morresse: engolir o sêmen.

O caso foi relatado na revista científica British Medical Journal Case Reports e é apontado como o primeiro deste tipo em todo o mundo. Segundo o artigo, logo após a relação sexual, ela começou a vomitar, ter dificuldade para respirar e apresentou urticária.

Natural de Alicante, na Espanha, a mulher foi ao hospital com suspeita de choque anafilático . No entanto, não há informações precisas sobre quanto tempo depois do encontro com o companheiro ela procurou ajuda médica.

Sem ter ideia de o que poderia ter provocado reação alérgica, ao ser questionada pelos médicos do Hospital General Universitari d’Alacant, ela revelou que tinha alergia à penicilina, um tipo de antibiótico utilizado no tratamento de infecções causadas por bactérias sensíveis, mas negou ter feito uso da droga, ou de qualquer alimento incomum, antes de ter a relação sexual.

Sexo oral com camisinha teria evitado alergia

Depois de mais algumas perguntas para tentar entender o caso, os médicos descobriram que quatro horas antes do ato, seu parceiro, um homem de 32 anos, teria tomado amoxicilina-ácido clavulânico, para tratar uma infecção no ouvido. Isso explica a alergia, já que o medicamento que é uma forma de penicilina.

Para tratar a reação grave, a mulher recebeu uma dose de adrenalina, esteróides e salbutamol para combater os sintomas e abrir as vias aéreas.

A autora do artigo científico que publicou o caso, Susana Almenara, ressalta que os médicos descartaram uma possível alergia a sêmen, já que a espanhola afirmou que nunca havia sofrido nenhum sintoma em suas práticas sexuais anteriores.

A história ganhou repercussão por conta do ineditismo de alguma reação passada pelo sêmen através do sexo oral . A autora do relatório aproveita para alertar que pessoas com alergias a medicamentos devem “estar cientes” dos riscos, e reforça o apelo sobre o uso de preservativos.



RÁDIO OLHO D'ÁGUA

Buscar

Siga-nos

Enquetes

Nenhuma enquete encontrada.

Vídeos

Galeria

Áudios

Parceiros

Publicidades

Contato


rudimarramon@gmail.com

Desenvolvimento

www.aksoftware.com.br