RN MANTÉM INVESTIGAÇÃO EM UM CASO SUSPEITO DA VARIANTE INDIANA E TEM OUTROS DOIS DESCARTADOS

Segundo pasta, os outros dois casos foram descartados por não se enquadrarem em critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Eles, no entanto, seguem monitorados. Paciente que terá sequenciamento genético investigado morreu na segunda-feira (31).



Estrutura do coronavírus  — Foto: Radoslav Zilinsky/Getty Images/Arquivo

O Rio Grande do Norte descartou dois casos suspeitos de Covid-19 pela variante indiana e segue investigando apenas um caso suspeito da doença - de um homem de 29 anos que morreu na noite de segunda-feira (31) em Natal.

A morte desse paciente foi confirmada na quarta-feira (2) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). De acordo com a pasta, o paciente, que tinha o resultado RT-PCR positivo para Covid, estava hospitalizado na capital, internado em isolamento em terapia intensiva, instável, e com suporte ventilatório.

A amostra do paciente foi enviada para análise no Instituto Evandro Chagas, no Pará, para o sequenciamento genético, que vai definir se a cepa que o contaminou era a indiana ou não.

Os outros dois casos que a Sesap investigava foram descartados, segundo a pasta, por não se enquadrarem nos critérios do Ministério da Saúde para casos suspeitos, em que devem ser realizados os exames de sequenciamento genético.

Apesar do descarte, a secretaria diz que, seguindo as orientações do Ministério da Saúde, monitora as outras duas pessoas, que vieram de voos internacionais e devem ficar em isolamento domiciliar por 15 após o desembarque em solo brasileiro.

Além disso, a pasta explicou que outro residente no estado está sendo monitorado pelo estado do Rio de Janeiro após pegar um voo de Guarulhos para a capital carioca.

O Brasil tem até o momento oito casos confirmados da variante indiana: seis deles no Maranhão (cinco estão em quarentena dentro do navio e um deles está internado em São Luís), um no Rio de Janeiro (de um passageiro vindo da Índia e que desembarcou em São Paulo) e um em Juiz de Fora (também viajou ao país asiático e chegou ao Brasil via Guarulhos-SP).

Ceará teve um caso suspeito descartado na variante indiana, assim como o Distrito Federal, onde o paciente segue sendo investigado mesmo após ter testado negativo para Covid-19.

Variante indiana

De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), a B.1.617 é mais contagiosa em uma comparação inicial com a variante britânica, mas ainda é investigado se ela está relacionada a quadros mais graves de Covid-19 e se ela aumenta o risco de reinfecção.

Apesar de ter sido notada no ano passado, foi somente em 10 de maio que a OMS classificou a variante B.1.617 como "preocupação global".

Acredita-se que variante se dissemine mais rápido. No entanto, cientistas ainda não sabem dizer se é mais letal e se tem maior transmissibilidade.



RR COMUNICAÇÃO

Buscar

Siga-nos

Enquetes

Nenhuma enquete encontrada.

Vídeos

Galeria

Áudios

Parceiros

Publicidades

Contato


rudimarramon@gmail.com

Desenvolvimento

www.aksoftware.com.br