[VÍDEO] RÁPIDO E ECONÔMICO: MULHER CONSERTA CARRO BATIDO NA "FORÇA DO ÓDIO"


A arquiteta Gabriela Mendes encontrou uma maneira diferente – e mais econômica – de consertar seu #carro. Após sofrer uma batida no trânsito que arrancou o para-choque, ela decidiu arrumá-lo na “força do ódio” ao chegar em casa, dando vários socos para encaixar a peça.

A tática de Gabriela deu certo, já que o para-choque voltou ao lugar. “Novo, de novo”, brincou. O vídeo foi compartilhado no #Instagram da arquiteta e recebeu comentários dos seguidores. “O carro pensando: ‘A batida doeu menos’”, disse uma pessoa. Outra escreveu: “O meu, quando desencaixa, eu dou logo uma bicuda”.

Publicidade

[VÍDEO] MOTOQUEIRO ESCAPA DE SER BALEADO EM TENTATIVA DE ASSALTO NO RJ POR AGENDA QUE ESTAVA GUARDADA EM MOTO


Imagens feitas na delegacia mostram como ficou a agenda que salvou o motociclista Leandro Araújo de Oliveira, de 38 anos, alvejado por criminosos na noite da última sexta-feira (15) em Madureira, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

O motociclista, que é sargento da Marinha, foi vítima de uma tentativa de assalto na Rua Capitão Couto de Menezes, abordado por dois homens em uma moto. Assustado, ele tentou voltar na contramão e fugir e os criminosos dispararam. Os tiros, entretanto, acertaram uma agenda e uma bolinha de fisioterapia, que estavam dentro de uma mochila, e não feriram a vítima.

Os criminosos fizeram dois disparos contra a moto antes que policiais militares do 9º BPM (Rocha Miranda) chegassem ao local e trocaram tiros contra eles. Na sequência, os bandidos fugiram do local. Ao todo, os policiais dispararam 19 vezes contra os bandidos.

Os vagabundos me abordaram, deram os tiros, dois pegaram nas minhas costas e parou na minha agenda. Graças aos militares eles se evadiram”, contou a vítima, em um vídeo gravado na porta da delegacia.

De acordo com o aposentado Jorge de Oliveira, pai de Leandro, o militar da Marinha estava indo para a casa dos pais, em Realengo, quando sofreu a tentativa de assalto. Oliveira disse que o filho havia saído do serviço, no Centro do Rio.

Ele estava indo lá para casa quando tentaram assaltá-lo. Deram dois tiros e, por livramento de Deus, não pegou. Os disparos atravessaram a mochila e pegou na agenda e em um objeto que ele treina para fortalecer os dedos. Foi livramento, foi sorte, graças a Deus. Quando eu soube do que aconteceu, eu subi no telhado lá de casa e comecei a chorar e agradecer a Deus”.

Primeiramente gostaria de agradecer a Deus pelo livramento que me foi concedido e depois ao cabo Ferreira e ao cabo Souza porque graças a eles eu fui impedido de sofrer um assalto”, agradece o motoqueiro.

A ocorrência foi registrada na 29ª DP (Madureira).

Publicidade

ESTUPROS CONTRA MENORES AUMENTAM 106% NO RN


Casos reincidentes de violência sexual contra crianças e adolescentes, prisão de abusadores e operações de combate ao abuso infantojuvenil invadem diariamente o noticiário e apontam para uma realidade ainda não captada em sua totalidade.

Apenas nos últimos quatro anos, o crime de estupro de vulnerável contra menores de 0 a 17 anos cresceu 106% no Rio Grande do Norte. Enquanto em 2020 foram registrados 439 casos, em 2023 chegou a 907. Para especialistas ouvidos pela TRIBUNA DO NORTE, a estimativa é que esse número seja ainda maior devido a subnotificação de situações de violação de menores.

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesed/RN) e apontam, ainda, para o registro de 251 casos de estupro apenas de janeiro a maio deste ano. De acordo com a delegada Helena de Paula, da Delegacia Especializada na Proteção da Criança e do Adolescente (DPCA) de Natal, os números de abusos sexuais contra menores ainda é camuflado pela subnotificação e em muitas situações isso se deve ao fato de que os agressores são pessoas próximas ou da família da vítima, dificultando a denúncia. Outro ponto em comum, sobretudo no público infantil, é a ausência de consciência do menor de que está sendo violado.

Nos últimos anos, contudo, ela observa que a implantação de duas novas DPCA’s no Estado, localizadas em Parnamirim e Mossoró, somada às novas Delegacia da Mulher (DEAM’S) que acolhem a faixa-etária infanto juvenil são algumas medidas que favoreceram a chegada de mais casos às autoridades. “Esse movimento de conscientização por parte dos órgãos de saúde, de fazerem a notificação à delegacia desses casos para que sejam apurados, também é muito relevante porque muitos não chegam à Polícia”, conta a delegada.

O assessor técnico do Cedeca Casa Renascer, instituição voltada à defesa dos direitos humanos de crianças e adolescentes no Estado, Gilliard Laurentino, diz que a subnotificação é um desafio para a rede de proteção e que é observada em dados nacionais. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a estimativa é que apenas 10% dos crimes chegam à política pública, seja por meio das secretarias de saúde, delegacias, conselhos tutelares, ou assistência social. O Ministério da Justiça, por sua vez, evidencia um percentual ainda menor de 7,5%.

Laurentino adverte, nesse sentido, que o cenário de violação contra menores no Estado é ainda pior. Por conta disso, principalmente a partir dos anos 2000, o país vem buscando incentivar iniciativas para a denúncia, o que pode explicar a crescente de registros dos crimes. É o caso da campanha Faça Bonito, que mobiliza o país anualmente de abril a maio. “A gente tem esses dois caminhos: o primeiro é que está chegando mais [notificação] porque estamos fazendo mais denúncias, [enquanto o segundo] é que a gente não sabe o real, estatisticamente falando, em 90% dos casos”, esclarece.

Nas DPCA’S do Estado, observa a delegada Helena de Paula, as denúncias chegam pelos disques-denúncia 100 e 180, conselhos tutelares, escolas e relatos espontâneos de vítimas que procuram as unidades. Uma vez identificados os crimes, a Polícia Civil inicia medidas urgentes com foco na retirada do menor do contexto de violência e sua proteção durante as investigações. É o caso dos pedidos de prisão preventiva e encaminhamento da criança para uma instituição de acolhimento, sendo esta última mais comum nas situações que o agressor convive com a vítima no mesmo ambiente.

Perfil das vítimas e estrutura da rede
Se, por um lado, poucos casos chegam à política pública, por outro, a rede de atenção às vítimas atende menos do que deveria. O último boletim do Ministério da Saúde sobre as notificações de violência sexual contra crianças e adolescentes, publicado em 2023, aponta que até dezembro de 2021 o Rio Grande do Norte contemplava apenas 23 serviços de atenção às pessoas em situação de violência Sexual. O dado engloba a atenção integral às pessoas em situação de violência, atenção ambulatorial, Interrupção legal da gravidez e coleta de vestígios.

Gilliard Laurentino, do Cedeca Casa Renascer, analisa que o número é baixo e está associado, ainda, à desarticulação da rede de atenção à saúde na notificação dos casos de vítimas de violência. O resultado disso não poderia ser outro: a divergência entre as informações do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) com os das delegacias, assistência social e do conselho tutelar.

Segundo ele, o cenário resulta da frágil capacitação dos profissionais para lidar com casos de violência sexual, além da pouca distribuição e infraestrutura dos serviços para permitir o trabalho adequado. “Quando a gente olha para o território de Natal, a gente tem um conselho tutelar para cada região, para uma quantidade de população muito alta”, aponta.

Seguindo a realidade nacional, no Cedeca as pessoas assistidas são majoritariamente adolescentes do sexo feminino e que passaram pela reincidência da violência. De acordo com Gilliard Laurentino, o principal foco da instituição está em acolher e fornecer atendimento na área de psicologia às vítimas, a fim de que elas aumentem a capacidade de ressignificação e resiliência.

Apesar dos projetos serem voltados para o acolhimento das vítimas no período de seis meses a dois anos, há casos em que a criança/adolescente sai mais cedo e outros em que ela ultrapassa o tempo estipulado devido às dificuldades para encarar os traumas. “Têm um fenômeno que também nos chocou muito: normalmente, ela sai do Cedeca por uma ressignificação da violência, mas sua audiência é anos depois. E aí naquele período, a gente sabe que ela vai ter uma recaída”, complementa.

A psicóloga Fabiana Lima, que atua na Maternidade Januário Cicco (Mejc/UFRN/Ebserh), referência no acolhimento de vítimas de violência do sexo feminino a partir dos 12 anos, adverte que na maioria dos casos as crianças e adolescentes desenvolvem estresse pós-traumático, dores de cabeça, tonturas, quadros de ansiedade, fobias, medos e podem tentar o suicídio. O quadro é intensificado, muitas vezes, pelo fato de que a maior parte dos agressores são pessoas próximas ou da família. Nesses contextos, o receio da retaliação tende a aumentar.

Para auxiliar nos cuidados dos pacientes, o projeto “Proama” da Mejc conta com atendimento multiprofissional. A equipe reúne psicólogos, médicos, enfermeiros e assistente social que atuam na escuta e identificação das melhores formas de intervir em cada situação junto às vítimas. Em sua maioria, as adolescentes já chegam até à Maternidade encaminhados por outros serviços, como as unidades básicas de saúde (UBSs) e conselhos tutelares. Dentro dessa busca por atendimento, vale apontar, muitas delas sofrem com a desinformação e migração por variados serviços até serem atendidas.

Ela reitera ser indispensável qualificar continuamente os profissionais de saúde e ampliar a melhor articulação da rede. “A saúde tem seu papel, mas precisa estar trabalhando em conjunto com todos os outros, para que o acompanhamento e a garantia de direitos se efetive e essa criança e adolescente possa sair desse lugar de violência”, argumenta.

Embora reconheça o trabalho desenvolvido pelo Hospital Universitário Ana Bezerra (Huab/UFRN/Ebserh) junto a outros serviços como o Creas, Jacicleuma Márcia da Silva, assistente social na Unidade, também defende a habilitação de mais serviços. “Para uma pessoa se deslocar, por exemplo, 200/300 km para um atendimento dessa natureza é difícil, então se tivéssemos outros pontos considero que conseguiremos fortalecer um pouco mais a assistência”, completa.

A delegada Helena de Paula vai um pouco além e explica ser preciso, além das políticas de acolhimento à criança e ao adolescente, iniciativas direcionadas à educação sexual nas escolas. Isso porque esses espaços geralmente são os únicos freqüentados pelas vítimas fora do contexto de agressões e, a partir de campanhas e iniciativas de acolhimento, favorecem a revelação espontânea das crianças e adolescentes sobre o que estão passando.

Números
Estupros de menores de 0 a 17 anos no RN:

2020: 439
2021: 519
2022: 666
2023: 907

Publicidade

JUSTIÇA CONDENA LATAM A INDENIZAÇÃO DE R$ 30 MIL POR MORTE DE PET


Os desembargadores da 18ª Câmara do Tribunal de Justiça de São Paulo condenaram a Latam a pagar indenização de R$ 30 mil a um casal cujo cachorro de estimação morreu durante uma viagem. O colegiado confirmou decisão de primeiro grau e aumentou a indenização que havia sido arbitrada em R$ 10 mil.

A reportagem pediu manifestação da aérea. O espaço está aberto.

A decisão do TJ atendeu um pleito do casal, que narrou ter viajado de Aracaju a São Paulo com o animal em uma caixa de acrílico no bagageiro do mesmo voo em que se encontravam. Na volta, a companhia aérea indicou que o animal teria de ser transportado em outro voo, como “carga viva”, em uma caixa menor, de madeira.

O pet ficou 6h30 na caixa – quatro horas antes da decolagem, mais o tempo da viagem. Quando o avião pousou em São Paulo, foi constatada a morte do animal.

Em primeiro grau, a Justiça ressaltou a responsabilidade da companhia aérea “ao obrigar um acondicionamento inadequado e precário do pet em seu voo, causando um estresse que gerou seu óbito”. Foi fixada indenização de R$ 10 mil por danos morais e R$ 2 mil a título de danos materiais por “prestação de serviço defeituosos”.

O casal recorreu alegando que a indenização fixada era “irrisória” considerando a culpa da aérea e o “imensurável abalo emocional” sofrido.

O desembargador Sérgio Gomes, relator, acolheu o pedido e destacou que os “percalços vivenciados” pelo casal “exasperaram sobremaneira o dissabor cotidiano”. O magistrado deu ênfase à dor de “imensuráveis proporções” dos tutores.

Gomes anotou que a morte do pet ocorreu no dia do aniversário de seu tutor e que a tutora estava grávida. Em sua avaliação, esses detalhes intensificaram o dano psicológico do casal.

A avaliação é a de que a indenização imposta em primeiro grau “não concretizou efetiva justiça” e assim caberia o aumento da indenização a ser paga pela companhia aérea. O acórdão foi lavrado na terça-feira, 11.

Atentando-se às peculiaridades do caso concreto, em especial o elevado grau de culpa da companhia aérea e o intenso sofrimento emocional e psicológico causado aos autores (da ação), e aos princípios da razoabilidade e proporcionalidade, afigura-se mais adequada ao caso concreto a quantia total de R$ 30 mil, sendo R$ 15 mil para cada autor”, concluiu o relator, em voto acompanhado por unanimidade.

Publicidade

CASAL QUE PERDEU NOIVOS EM ACIDENTES NA MESMA AVENIDA SE CASA EM MG


Após quase seis anos juntos, o casal Edgar Campos e Magali Lázara se casou, nesse sábado (15/6), em Formiga, Minas Gerais. A história de amor dos dois é comovente porque, antes de se conhecerem, eles perderam seus noivos em acidentes de trânsito na mesma avenida da cidade.

A cerimônia de casamento ocorreu ao ar livre e contou com a presença de amigos e familiares. Um tio de 102 anos foi o “pajem” escolhido pelos noivos para levar as alianças até o altar, segundo o portal G1.

O casório também foi marcado pela entrada do noivo, que chegou no casamento em um caminhão, trajando um chapelão e botinas. Nas redes sociais dos pombinhos, é possível ver também que a caçamba de uma caminhonete estava lotada de cerveja e gelo.

Edgar e Magali afirmaram que a união é um “sonho realizado”.

A história de amor do casal começou em um banco, onde Magali trabalhava como bancária e Edgar era cliente. Mas, o interesse romântico só ficou claro após ela enviar por acidente uma figurinha com um beijo e um coração para Edgar, que começou a investir em conquistar a mulher.

Os acidentes
Eles perderam os respectivos noivos antes antes, em acidentes de moto na Avenida Brasil. Magali perdeu o noivo em 2004, enquanto Edgar passou pela mesma dor quando a noiva morreu em 2013, ainda de acordo com o G1.

Publicidade

POLÍTICA DO RESPEITO E CONSIDERAÇÃO, DEVERÁ MUDAR OS RUMOS DA PRÉ-CAMPANHA EM SÃO JOSÉ DE MIPIBU


A noite do arrastão que abriu o São João em São José foi marcada por uma série de fatos políticos novos. Um de grande expressão, foi o fato do pré-candidato a vice-prefeito oposicionista à atual administração ter dançado, abraçado os netos de Arlindo Dantas, Lucas e Bruno Dantas, e conversado com bastante clareza sobre as decepções que tem presenciado e observado na condução política da oposição. 

Foi com Raul Nóbrega, que Zé Lúcio abriu seu coração, e contou em detalhe do arrependimento de algumas decisões políticas tomadas nos últimos meses, e para Zé Lúcio há uma chance de fortalecimento de diálogo para uma recomposição com o Prefeito Zé Figueiredo. Claro, amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada. 

Porém, as críticas de Zé Lúcio à condução da oposição fazem crer que há uma distância significativa entre o que dizem ser e o que realmente são.

Publicidade

[VÍDEO] VICE-PREFEITO DE CIDADE PERNAMBUCANA APARECE COM ARMA DE FOGO E ATIRA CONTRA PAREDE DA PRÓPRIA RESIDÊNCIA


Um vídeo divulgado nas redes sociais na manhã deste sábado (15) mostra Antonio do Egito (PSDB), vice-prefeito da cidade de Catende, na Mata Sul do Estado, portando uma arma de fogo e efetuando disparos contra a parede da própria residência. Nas imagens, o político está sentado assistindo a um show da banda Calcinha Preta e chega e rir da situação.

Ao todo, seis tiros foram disparados contra a parede. Enquanto atira, Antonio chega a perguntar para a câmera “Mais ou tá bom?” e ri.

Tô feliz. Eu estou na minha casa quem manda é eu, minha mulher e meus filhos. Bora ou vamos?”, diz o vice-prefeito antes de atirar mais vezes.

O g1 entrou em contato com a Prefeitura de Catende, e a prefeita Graça Maria disse que lamenta a situação e não compactua com qualquer ação dessa natureza. E disse também que as atitudes do vice não condizem com a forma dela de gerir o município.

A polícia civil disse que instaurou um inquérito para investigar as ocorrências de disparos de arma de fogo e porte ilegal de arma, registradas no dia 15.06 e que maiores informações poderão ser repassados quando o caso for concluído.

Até o momento do fechamento dessa matéria, não conseguimos contato com o vice-prefeito Antonio Luiz Colaço de Lira, conhecido por Antonio do Egito. Ele foi eleito em 2020.

Vídeo: Blog Mauricio Gurgel

Publicidade

FÁTIMA BEZERRA É DESMENTIDA POR PROCURADOR FEDERAL DO INSS SOBRE ATUAÇÃO DO RN EM AÇÃO NO STF QUE TRATOU DA APOSENTADORIA DE SERVIDORES


Circula nos grupos de WhatsApp de procuradores do Estado e do meio jurídico em gerão o comentário do Procurador Federal do INSS, Frederico Amado, no perfil no Instagram da governadora Fátima Bezerra, desmentindo uma afirmação feita pela chefe do Poder Executivo do RN que inclusive virou release para a imprensa, publicado também no BLOGDOBG.

De acordo com a governadora, em suas redes sociais, a decisão do STF em permitir que servidores públicos não concursdados possar optar por se aposentar pelo regime próprio, sem a obrigação de aposentadoria compulsória teria se dado por uma ação do Governo do RN.

No entanto, a governadora não contava e foi surpreendida com o comentário do Procurador Federal do INSS Frederico Amado afirmando que, na verdade, não houve atuação do governo Fátima. E que tal resultado na ação se deu graças a atuação do procurador, autor intelectual da tese.

Publicidade

DER NÃO TEM PRAZO PARA TAPAR CRATERA NA AV. OLAVO MONTENEGRO, EM PARNAMIRIM


O Departamento de Estradas e Rodagens do Rio Grande do Norte (DER/RN) ainda não tem prazo para fechar o buraco que se abriu, pela segunda vez em uma semana, na avenida Olavo Montenegro, em Parnamirm, na última quinta-feira (13), quando a região foi atingida por fortes chuvas.

Na manhã deste sábado (15), homens de uma empresa que presta serviços para o DER trabalhavam no local. Eles retiravam a areia da tubulação instalada na área que, conforme informado por um dos funcionários, desce de uma rua sem calçamento, localizada ao lado da avenida, e entope os canos.

Os funcionários não quiseram gravar entrevista, mas contaram, de maneira informal, que a areia entra na tubulação por meio de um buraco às margens da avenida e impede o escoamento da água, causando extravasamento na tubulação e, por consequência, a abertura da cratera na via.

A equipe informou que o serviço de limpeza consiste em retirar a areia dos canos para evitar o aumento do buraco. Na próxima segunda-feira (17), de acordo com os trabalhadores, a equipe irá checar exatamente onde estão as tubulações quebradas. A expectativa, segundo a equipe, seria de começar a tapar o buraco no mesmo dia, mas sem garantias de prazos para a finalização do serviço.

O DER/RN disse à reportagem da Tribuna do Norte, no entanto, que não há prazos para a resolução do problema. “O Departamento de Estradas e Rodagens está fazendo um estudo, porque há entupimento dos canos, ocasionado inclusive por dejetos que são jogados na tubulação. Possivelmente, toda a via precisará ser recuperada, mas só teremos prazos após esse parecer”, informou o órgão. O DER ainda afirmou que um desvio está sendo estudado e explicou que, caso a via toda passe por intervenção, não haverá fechamento simultâneo dos dois sentidos da avenida.

O congestionamento começa no retorno da Coophab e o trânsito está lento. Ainda bem que, por ser sábado, a situação está menos complicada. Mas não posso deixar de falar desse buraco que abriu de novo. Isso é fruto de um serviço muito mal feito”, disse José Wilson, motorista de caminhão. Jonas Martins também reclamou do fluxo lento e comentou sobre a nova cratera. “A gente vê que tem uma incompetência da administração pública. O Governo deixa muito a desejar nessa questão de infraestrutura”, disse.

Com o problema, as faixas da via no sentido em que o buraco se abriu estão interditadas. No sentido contrário, o trânsito segue em mão dupla, concentrado nas duas faixas, o que tem provocado a lentidão no tráfego.

Publicidade

ANDERSON SILVA E CHAEL SONNEN EMPATAM EM LUTA DE EXIBIÇÃO


Anderson Silva e Chael Sonnen se enfrentaram na luta principal do Spaten Fight Night, que foi realizado neste sábado, em São Paulo. O duelo marcou a despedida do brasileiro dos ringues em seu país, e foi marcado pelo encontro com um de seus mais famosos rivais. O combate, programado como exibição, teve os dois lutadores com os braços erguidos ao fim da luta, deixando-a sem vencedor.

Embalado por Seu Jorge, que cantou a famosa música que embalou Anderson Silva em seus principais combates, o Spider entrou aplaudido pela torcida, enquanto Sonnen o esperava no ringue. A torcida não chegou a hostilizar o lutador americano, mas ecoou o coro de “Uh, vai morrer” para o antigo rival do brasileiro.

Quando o combate começou, Anderson mostrou toda sua habilidade e foi ditando o ritmo do confronto, sem acelerar e levar muito perigo ao lutador americano. Wrestler por natureza, e sem tantas habilidades na trocação, Sonnen foi levando a luta durante os cinco rounds, sem incomodar o brasileiro.

Após cinco rounds de dois minutos, Anderson e Sonnen tiveram seus braços erguidos e o combate terminou sem vencedor.

Publicidade