‘É COMO FUMAR 20 CIGARROS POR DIA’: OS RISCOS DOS CIGARROS ELETRÔNICOS QUE VIRARAM ‘MODA’ ENTRE JOVENS E ADOLESCENTES



Foto: Brendan McDermid

Tratar a dependência por cigarros eletrônicos já virou rotina para a cardiologista Jaqueline Scholz. “Cada vez mais recebo no meu consultório jovens de 16 a 24 anos que usam esse produto e têm uma taxa de nicotina no organismo equivalente ao consumo de mais de 20 cigarros por dia”, calcula.

Para ter ideia, o fumante brasileiro consome em média 17 cigarros “convencionais” por dia, segundo um levantamento do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Diretora do Ambulatório de Tratamento do Tabagismo do Instituto do Coração (InCor), a médica mostra-se preocupada com o apelo desses dispositivos, especialmente entre os adolescentes e os adultos jovens.

Um levantamento publicado neste ano mostrou que quase um em cada cinco brasileiros de 18 a 24 anos usaram o cigarro eletrônico pelo menos uma vez na vida, mesmo que a comercialização desse produto seja proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Nosso país tinha uma taxa de iniciação do tabagismo muito baixa entre adolescentes, mas vemos que essa política está em risco agora”, analisa Scholz, que também é professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). “Se não cuidarmos desse problema agora, o uso desses dispositivos tem tudo para virar uma epidemia em breve”, complementa.

BBC News Brasil
Publicidade

Compartilhe

Veja Mais

RN TEM 10 CASOS CONFIRMADOS DE VARÍOLA DOS MACACOS
RN CONFIRMA MAIS DOIS CASOS DE VARÍOLA DOS MACACOS
REGISTROS DE DENGUE CRESCEM 740% NO RIO GRANDE DO NORTE
SANTA CRUZ: HOSPITAL TIRA OXIGÊNIO DE UM PACIENTE PARA TENTAR SOCORRER OUTRO E OS DOIS TERMINAM MORRENDO.
O PREFEITO DE SÃO PAULO DO PONTEGI ASSINOU ORDEM DE SERVIÇO PARA REFORMAR CENTRO DE REFERÊNCIA EM ONCOLOGIA