SONDA SERÁ ENVIADA NA PRÓXIMA SEMANA AO RN PARA PERFURAR POÇOS



Foto: Divulgação

Nos próximos dias, a sonda NS-42 será enviada para o Rio Grande do Norte para iniciar a perfuração de dois poços na Bacia Potiguar, no Campo de Pitu Oeste e Anhangá . A Petrobras informou que o equipamento ainda encontra-se em processo de limpeza de casco, “com previsão de início da navegação para a Bacia Potiguar na próxima semana e, portanto, com expectativa de início de perfuração ainda neste ano”. A estatal não informou em quanto tempo a sonda deve chegar ao Estado. O poço será perfurado a 52 km da costa e, nesta fase, não há produção de petróleo.

“No que tange a duração das perfurações, a previsão é entre 3 e 5 meses para cada poço da campanha exploratória da Bacia de Potiguar”, informou a companhia. Esse movimento marcará o primeiro poço exploratório em toda a Margem Equatorial brasileira, desde 2015.

No início do mês passado, a Petrobras já havia anunciado que a sonda NS-42 estava em processo de conclusão da limpeza da bioincrustação do seu casco numa base de apoio na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. O objetivo deste trabalho é prevenir a disseminação de coral-sol, espécie exótica de corais.

A perfuração vai ampliar a pesquisa exploratória, pela qual a companhia pretende obter mais informações geológicas da área e avaliar a viabilidade econômica e a extensão da descoberta de petróleo realizada em 2013 no poço de Pitu.

O projeto de avaliação da descoberta de Pitu, na Bacia Potiguar, está previsto no atual Plano Estratégico da Petrobras, para o período entre 2023 e 2027. A companhia pretende perfurar 16 poços exploratórios na Margem Equatorial, em cinco anos. O investimento previsto para a região é de cerca de 3 bilhões de dólares, direcionado para projetos de pesquisa e investigação do potencial petrolífero da região. Na perfuração dos dois poços em águas profundas da Bacia Potiguar, deverão ser investidos cerca de 300 milhões de dólares, informou a companhia anteriormente.

A Bacia Potiguar abrange porções marítimas dos estados do Rio do Grande do Norte e do Ceará e é parte da chamada Margem Equatorial brasileira, que se estende entre os estados do Amapá e do Rio Grande do Norte. A região é considerada uma das mais novas e promissoras fronteiras mundiais em águas profundas e ultra profundas.

Descobertas recentes anunciadas em regiões contínuas a essas fronteiras, especialmente nos vizinhos Guiana e Suriname, indicam relevante potencial de produção de petróleo para a Margem Equatorial brasileira.

“Estamos muito otimistas e entusiasmados com a retomada de novos projetos pela Petrobras. A Margem Equatorial brasileira apresenta expressivo potencial petrolífero e será fundamental para o futuro da companhia, garantindo a oferta de petróleo necessária para o desenvolvimento do país e financiamento da transição energética”, disse o presidente da Petrobras Jean Paul Prates, em outubro.

A renovação de Licença de Operação (LO) que dá a autorização para que os serviços de perfuração ocorram foi concedida pelo Ibama no começo do mês passado. Trata-se da 21ª licença concedida pelo órgão desde 2004 para perfuração na região da chamada Margem Equatorial. A companhia não realizava uma Avaliação Pré-Operacional desde 2013, quando obteve a primeira licença para a mesma área, em Pitu.

“Ao longo de uma década, evoluímos muito e aprimoramos continuamente nossa capacidade de resposta a emergências. Estamos ainda mais bem preparados para atuar na resposta e muito seguros também da nossa atuação na prevenção a acidentes, para evitar que esses recursos precisem ser utilizados”, informou na ocasião o gerente Executivo de Saúde, Meio Ambiente e Segurança da Petrobras, Flaubert Machado.

Tribuna do Norte

Publicidade

Compartilhe

Veja Mais

GOVERNO DETALHA NESTA SEGUNDA ÁREAS AFETADAS POR CONGELAMENTO DE R$ 15 BILHÕES
ALIEXPRESS CONFIRMA COBRANÇA DE ‘TAXA DAS BLUSINHAS’ A PARTIR DO DIA 27
EQUIPE ECONÔMICA DIZ MIRAR CORTE UNIVERSAL EM TODOS OS MINISTÉRIOS
GASOLINA SE APROXIMA DOS R$ 6 E BATE RECORDE NO GOVERNO LULA
PREÇO MÉDIO DA GASOLINA SOBE R$ 0,12 NOS POSTOS APÓS AUMENTO PELA PETROBRAS, MOSTRA ANP

Comentários (0)

Deixe seu comentário